noticias448 Seja bem vindo ao nosso site webradioretro!

Geral

Crise varejista pode fechar 750 lojas gigantes e gerar 35 mil demissões

Marcas como Americanas, Dia, Marisa, Carrefour e Casas Bahia estão em reestruturação

Publicada em 01/04/2024 às 05:36h


Compartilhe
Compartilhar a noticia Crise varejista pode fechar 750 lojas gigantes e gerar 35 mil demissões  Compartilhar a noticia Crise varejista pode fechar 750 lojas gigantes e gerar 35 mil demissões  Compartilhar a noticia Crise varejista pode fechar 750 lojas gigantes e gerar 35 mil demissões

Link da Notícia:
Bolo do Edu
Idealnet3

Crise varejista pode fechar 750 lojas gigantes e gerar 35 mil demissões

Só as Casas Bahia fechou 55 lojas e demitiu 8,6 mil em 2023

De acordo com o Metrópoles, o setor de varejo no Brasil está enfrentando uma crise considerável. Grandes empresas, tais como Carrefour, Americanas, Dia, Marisa e Casas Bahia, encerraram ou têm planos de encerrar mais de 750 lojas em todo o território nacional. Este corte severo na infraestrutura operacional pode levar a cerca de 35 mil demissões.

Na segunda-feira (25/3), a Casas Bahia anunciou o fechamento de 55 lojas em 2023, o que resultou em 8,6 mil demissões. A empresa está atualmente passando por uma reestruturação com o objetivo de eliminar lojas que estão deficitárias ou têm margens negativas.

A Americanas, que se encontra em processo de recuperação judicial desde janeiro de 2023 em razão de uma “fraude contábil” de R$ 25,2 bilhões, encerrou as atividades de 152 lojas e dispensou 13.875 colaboradores.

O Dia, que iniciou o processo de recuperação judicial na última sexta-feira (26/3), tem planos de encerrar as atividades de 343 de suas 587 lojas atuais, preservando somente aquelas situadas em São Paulo.

A Marisa e o Carrefour não revelaram a quantidade total de dispensas esperadas devido ao encerramento de suas operações. Contudo, o Carrefour comunicou um déficit de R$ 565 milhões no último trimestre de 2023 e o encerramento de 123 lojas.

Em 2023, a Marisa anunciou o encerramento de 91 lojas e, de acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), o número de demissões pode atingir 2,4 mil funcionários.

Segundo o presidente da SBVC, Eduardo Terra, a crise decorre de uma variedade de fatores, que incluem a pandemia, a inflação e a limitação ao crédito. No entanto, ele aponta que o surgimento e crescimento do modelo de atacarejo tem trazido desafios para as convencionais redes de supermercados.

Com informação: folhadestra.com




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (86) 98104-3493

Visitas: 776747
Copyright (c) 2024 - webradioretro - Aonde quer que esteja, você ouve, ler e comenta as notícias da nossa rádio